Nota

Este site utiliza cookies...
Os cookies são pequenos arquivos de texto que ajudam a melhorar a sua experiência de navegação no nosso site. Ao navegar em qualquer parte deste site você autoriza a utilização dos cookies. Poderá encontrar maiores informações sobre a policy dos cookies nas Condições de utilização.

Ecumenismo dos mártires

· Com o patriarca ortodoxo etíope o Papa recorda os sofrimentos dos cristãos ·

«O ecumenismo dos mártires é um convite dirigido a nós, aqui e agora, a percorrer juntos o caminho rumo a uma unidade cada vez mais plena». 

Disse o Papa Francisco dirigindo-se ao patriarca da Igreja ortodoxa Tewahedo da Etiópia, Abuna Matthias I, recebido em audiência na manhã de segunda-feira 29 de fevereiro, na Biblioteca particular. «A vossa – frisou o Pontífice – foi uma Igreja de mártires desde o princípio, e ainda hoje sois testemunhas de uma violência devastadora contra os cristãos e contra as outras minorias no Médio Oriente e nalgumas partes da África. Não podemos eximir-nos de pedir, mais uma vez, a quantos regem o destino político e económico do mundo, que promovam uma coexistência pacífica baseada no respeito recíproco e na reconciliação, no perdão mútuo e na solidariedade».

«É minha fervorosa esperança – concluiu o Papa – que este encontro dê início a um novo tempo de amizade fraterna entre as nossas Igrejas. Estamos cientes de que a história deixou um fardo de dolorosos desentendimentos e desconfiança, pelo qual pedimos o perdão e a cura de Deus. Rezemos uns pelos outros, invocando a proteção dos mártires e dos santos para todos os fiéis confiados aos nossos cuidados pastorais. Que o Espírito Santo continue a iluminar-nos e a guiar-nos rumo à concórdia e à paz, alimentando em nós a esperança do dia em que, com a ajuda de Deus, estaremos unidos no altar do Sacrifício de Cristo, na plenitude da comunhão eucarística».

Edição em papel

 

AO VIVO

Praça De São Pedro

26 de Agosto de 2019

NOTÍCIAS RELACIONADAS