Nota

Este site utiliza cookies...
Os cookies são pequenos arquivos de texto que ajudam a melhorar a sua experiência de navegação no nosso site. Ao navegar em qualquer parte deste site você autoriza a utilização dos cookies. Poderá encontrar maiores informações sobre a policy dos cookies nas Condições de utilização.

​Direitos e dignidade para as trabalhadoras no Paquistão

Garantir assistência médica, salvaguarda e segurança às trabalhadoras; seguir um código de conduta que proteja as mulheres contra injustiças e abusos; criar para elas um ambiente de trabalho seguro, desprovido de moléstias, abusos e intimidações; assegurar a maternidade às trabalhadoras: são estes os pedidos formulados ao Governo paquistanês pelas associações que nesse país asiático promovem os direitos das mulheres, por ocasião do Dia nacional da mulher, que teve lugar a 12 de Fevereiro em Faisalabad. O acontecimento, no qual participaram mulheres de diferentes comunidades e religiões, foi organizado pela Awam (Association of Women for Awareness and Motivation), em colaboração com outras Ong. Zarfishan Nasir, activista a favor dos direitos das mulheres, disse à agência Fides que esse Dia – proclamado para recordar a campanha encetada por um grupo de mulheres que levantaram a sua voz contra as políticas e a legislação impostas pelo ditador Zia-ul-Haq, e por isso sofreram duras consequências – representou «um marco miliário na história do movimento das mulheres no Paquistão». Em seguida a directora da Awam, Nazia Sardar, recordou que «é urgente assegurar a igualdade de remuneração e instituir a maternidade e creches nos lugares de trabalho». Finalmente, em conformidade com a activista cristã Shazia George, «é necessário empreender gestos de sensibilização para a promoção dos direitos das mulheres, pondo em acção instrumentos nacionais e internacionais a favor dos direitos das trabalhadoras». 

Edição em papel

 

AO VIVO

Praça De São Pedro

19 de Agosto de 2019

NOTÍCIAS RELACIONADAS