Nota

Este site utiliza cookies...
Os cookies são pequenos arquivos de texto que ajudam a melhorar a sua experiência de navegação no nosso site. Ao navegar em qualquer parte deste site você autoriza a utilização dos cookies. Poderá encontrar maiores informações sobre a policy dos cookies nas Condições de utilização.

Desejo de unidade

· Na declaração conjunta assinada pelo Papa Francisco e pelo primaz da Comunhão anglicana Justin Welby ·

Na igreja de São Gregório «al Celio» a celebração das vésperas com o envio de trinta e oito missionários ao mundo

«O forte desejo de unidade que exprimimos está estreitamente ligado ao desejo partilhado de que homens e mulheres acreditem que Deus enviou o seu Filho, Jesus, ao mundo para o salvar do mal que oprime e enfraquece toda a criação». Escreveram o Papa Francisco e o primaz da Comunhão anglicana Justin Welby na declaração conjunta assinada na tarde de quarta-feira 5 de outubro, no início da celebração das vésperas realizada na igreja romana de São Gregório «al Celio», durante a qual foi conferido o mandato a trinta e oito bispos missionários, metade católicos e metade anglicanos.

A declaração conjunta do Papa e do primaz – que pouco antes tiveram um encontro na Sala Paulo VI por ocasião da audiência aos participantes num congresso sobre desporto e fé – começa pelo pressuposto de que «a nossa capacidade de nos reunirmos no louvor e na oração a Deus e de o testemunharmos ao mundo se apoia na certeza de que partilhamos uma fé comum e de modo substancial um acordo na fé». Por isso « o mundo deve ver-nos testemunhar, na nossa ação conjunta, esta fé comum em Jesus». Consequentemente, afirmaram, «podemos e devemos trabalhar juntos para proteger e preservar a nossa casa comum: vivendo, educando e agindo de modo a favorecer um rápido fim da destruição ambiental, que ofende o Criador e degrada as suas criaturas, e gerando modelos de comportamento individuais e sociais que promovam um desenvolvimento sustentável e integral para o bem de todos».

Em particular, esclareceram, «podemos e devemos permanecer unidos na causa comum de apoiar e defender a dignidade de todos os homens». Porque, concluíram, «a nossa fé cristã nos leva a reconhecer o valor inestimável de todas as vidas humanas e a honrá-las através de obras de misericórdia, oferecendo educação, cuidados médicos, alimentos, água potável e abrigo, procurando sempre resolver os conflitos e construir a paz».

Edição em papel

 

AO VIVO

Praça De São Pedro

18 de Agosto de 2019

NOTÍCIAS RELACIONADAS