Nota

Este site utiliza cookies...
Os cookies são pequenos arquivos de texto que ajudam a melhorar a sua experiência de navegação no nosso site. Ao navegar em qualquer parte deste site você autoriza a utilização dos cookies. Poderá encontrar maiores informações sobre a policy dos cookies nas Condições de utilização.

Daqui a oito dias no Rio

· No Angelus em Castel Gandolfo o Papa fala da iminente celebração da JMJ e recorda o aniversário dos massacres de Volínia ·

No quarto centenário de são Camilo exorta quem trabalha no campo da saúde à misericórdia

Mais de vinte mil pessoas para primeira vez do Papa Francisco em Castel Gandolfo. Em grande número reuniram-se ontem, domingo 14 de Julho, na praça diante do Palácio pontifício na pequena vila do Lácio, para o primeiro «encontro oficial» com o Papa Bergoglio. O encontro era para a oração mariana dominical. Entrando imediatamente no coração do povo com o seu «bom dia» aos habitantes «desta bonita vila», o Pontífice falou-lhes depois da misericórdia para com quantos se encontram em necessidade. E mostrou um grande paladino da misericórdia, o são Camilo pelo qual precisamente ontem começaram as celebrações do IV centenário da morte. Em seguida recordou que daqui a oito dias estará no Rio de Janeiro para celebrar a JMJ.

Pouco antes o Papa tinha recebido a homenagem dos empregados das Vilas Pontifícias e das autoridades religiosa e civil de Castel Gandolfo. E foi precisamente nesta ocasião que o Papa Francisco proferiu palavras de gratidão pelos seus mais imediatos predecessores, o beato João Paulo II e Bento XVI, cujo testemunho recomendou como exemplo para levar «uma vida coerente com as exigências do evangelho».

Edição em papel

 

AO VIVO

Praça De São Pedro

21 de Outubro de 2019

NOTÍCIAS RELACIONADAS