Nota

Este site utiliza cookies...
Os cookies são pequenos arquivos de texto que ajudam a melhorar a sua experiência de navegação no nosso site. Ao navegar em qualquer parte deste site você autoriza a utilização dos cookies. Poderá encontrar maiores informações sobre a policy dos cookies nas Condições de utilização.

Como começou Maradona

· Alfabetização digital e desporto no centro dos novos projectos de Scholas occurrentes apresentados ao Papa ·

Alfabetização digital e desporto: são os dois âmbitos nos quais apostam os novos projectos de Scholas occurrentes, a rede educativa mundial promovida sob o impulso de Francisco. Depois do encontro de 21 de Abril passado no Vaticano – com a assinatura de dois acordos com a Unicef e com a Confederação sul-americana de futebol (Conmebol) – na presença do Papa, José Maria del Corral, um dos dois directores mundiais de Scholas, faz um apanhado da situação nesta entrevista ao nosso jornal.

Quais são os conteúdos do acordo assinado com a Unicef?

O acordo quinquenal prevê dois níveis: um global e um que diz respeito a cada um dos países individualmente. O primeiro está relacionado com o pedido de dar a todos os jovens a possibilidade de conectar-se. Queremos que se acrescente aos direitos da criança o direito fundamental à conexão para todos os jovens do mundo, e ao mesmo tempo, o direito à alfabetização digital. O segundo objectivo diz respeito às campanhas de Scholas a favor dos valores: por exemplo, a campanha da oliveira, que tem por objectivo favorecer a cultura do encontro e da paz.

Scholas tem outro grande objectivo que é o desporto. De que maneira se podem envolver os jovens?

As outras duas colunas portantes do nosso compromisso são precisamente o desporto e a educação. Não foi ocasional que o Papa tenha lançado Scholas, ao meio-dia de 13 de Agosto de 2013, no contexto da jogo de futebol Argentina-Itália. E as primeiras escolas, uma argentina e uma italiana, foram inauguradas por dois campeões como Messi e Buffon. Hoje 400 mil escolas e redes educativas já participam no nosso programa nos cinco continentes.

Insere-se neste contexto também o segundo acordo assinado a 21 de Abril.

Chama-se «Gol per Scholas» e vê a colaboração da Conmebol, que por ocasião da próxima Copa da América, em programa para o Chile, nos doará 10.000 dólares por cada golo metido e por cada rigor defendido. A quantia será destinada às actividades educativas nos países que participam na competição: em particular, serão financiados pedidos que Scholas recebe das comunidades mais pobres. Podemos dizer que um golo para Scholas será transformado num golo para as crianças.

É verdade que também participa Maradonna?

Francisco encontrou-se com ele em Santa Marta. Maradonna, que tinha participado no primeiro jogo inter-religioso pela paz no estádio Olímpico de Roma, veio oferecer ao Papa a sua disponibilidade não só para jogar, mas para ser o capitão da equipa e para colaborar na preparação do encontro. Deu a sua disponibilidade para ir aos bairros onde Scholas está a fazer actividades, porque a situação daqueles jovens lhe recorda a sua história pessoal, quando jogava com os pés descalços num pequeno campo improvisado.

Durante o encontro o Papa deu-vos indicações específicas?

Francisco estava muito contente. Diz sempre que se Deus está numa coisa, ela crescerá e começará a funcionar. O que não esperávamos era que tudo fosse tão grandioso e rápido.

Nicola Gori

Edição em papel

 

AO VIVO

Praça De São Pedro

19 de Setembro de 2019

NOTÍCIAS RELACIONADAS