Nota

Este site utiliza cookies...
Os cookies são pequenos arquivos de texto que ajudam a melhorar a sua experiência de navegação no nosso site. Ao navegar em qualquer parte deste site você autoriza a utilização dos cookies. Poderá encontrar maiores informações sobre a policy dos cookies nas Condições de utilização.

Com simplicidade ao lado dos pobres

· O Papa aos clérigos marianos da Imaculada ·

O convite a aproximar-se dos que sofrem com simplicidade – «os doentes, as crianças, os idosos abandonados, os pobres» – foi dirigido pelo Papa Francisco aos participantes no capítulo geral dos Clérigos Marianos da Imaculada Conceição da Bem-aventurada Virgem Maria, recebidos em audiência na manhã de sábado 18 de fevereiro, na Sala do Consistório.

Aos religiosos o Pontífice recomendou que mantenham a fidelidade ao carisma originário, estando ao lado das pessoas com gestos humildes e linguagem compreensível. «Nós – recordou – não somos príncipes, filhos de príncipes ou condes e nem barões, somos gente simples, do povo. E por esta razão que nos aproximamos com esta simplicidade dos simples».

Recordando depois uma expressão do fundador São Estanislau de Jesus e Maria, canonizado no ano passado – o qual amava repetir: «Nada é impossível ao Omnipotente» – Francisco falou da «pequenez»: uma atitude, explicou, que nasce da consciência da exiguidade dos próprios meios, mas também «da nossa indignidade, por sermos pecadores». Precisamente aqui insere-se «o acto de fé no poder do Senhor: o Senhor pode, o Senhor é capaz».

Assim, prosseguiu o Papa, «a nossa pequenez é precisamente a semente, a semente pequenina, que depois brota, cresce, o Senhor irriga-a. O sentimento de pequenez é exatamente o primeiro impulso rumo à confiança no poder de Deus». Daqui o seu convite conclusivo: «Ide em frente por este caminho».

Discurso do Papa 

Edição em papel

 

AO VIVO

Praça De São Pedro

24 de Outubro de 2019

NOTÍCIAS RELACIONADAS