Nota

Este site utiliza cookies...
Os cookies são pequenos arquivos de texto que ajudam a melhorar a sua experiência de navegação no nosso site. Ao navegar em qualquer parte deste site você autoriza a utilização dos cookies. Poderá encontrar maiores informações sobre a policy dos cookies nas Condições de utilização.

Com nome e sobrenome

· ​A Quinta-Feira santa de Francisco no meio dos presos de Rebibbia ·

Jesus ofereceu a vida por todos os homens: «por ti, por ti, por mim, por ele, por todos, com nome e sobrenome», explicou o Papa Francisco aos presos do cárcere romano de Rebibbia, onde celebrou a missa «in coena Domini», na tarde de 2 de Abril, Quinta-Feira santa.

O amor de Deus – recordou antes do rito do lava-pés a seis prisioneiros e seis prisioneiras (entre as quais uma nigeriana com o seu filho) – é «pessoal» e «nunca desilude, porque ele não se cansa de amar, de perdoar nem de nos abraçar». Jesus, afirmou, «amou-nos, a cada um de nós, até ao fim».

Nesta chave o Pontífice interpretou o gesto que o Senhor realizou com os apóstolos. «Lavarei hoje os pés a doze de vós – disse – mas neles, irmãos e irmãs, estareis todos vós. Todos os que vivem aqui. Vós representais todos». E acrescentou: «Eu também preciso ser lavado pelo Senhor, e por isso rezai durante esta missa a fim de que o Senhor lave também as minhas sujidades, para que eu me torne mais escravo no serviço ao povo, como o foi Jesus».

Homilia do Papa 

Edição em papel

 

AO VIVO

Praça De São Pedro

19 de Agosto de 2019

NOTÍCIAS RELACIONADAS