Nota

Este site utiliza cookies...
Os cookies são pequenos arquivos de texto que ajudam a melhorar a sua experiência de navegação no nosso site. Ao navegar em qualquer parte deste site você autoriza a utilização dos cookies. Poderá encontrar maiores informações sobre a policy dos cookies nas Condições de utilização.

Chega de violência e sangue
na Nicarágua

· Apelo do Papa no Regina caeli do domingo do bom Pastor ·

O fim das violências na Nicarágua foi invocado pelo Papa no Regina caeli de 22 de abril. Exprimindo a sua preocupação «pelo que está a acontecer nestes dias» no país centro-americano, onde «a seguir a um protesto social se verificaram conflitos que causaram algumas vítimas», o Pontífice garantiu a sua «proximidade orante» à população e uniu a sua voz à dos bispos «pedindo que cesse toda a violência, se evite um inútil derramamento de sangue e as questões abertas sejam resolvidas pacificamente e com sentido de responsabilidade».

Precedentemente, o Papa ofereceu aos fiéis reunidos ao meio-dia na praça de São Pedro uma reflexão sobre o trecho evangélico do bom Pastor, ressaltando sobretudo a relação de conhecimento entre Jesus e as suas ovelhas: não «um conhecimento inteletivo», explicou, mas «de uma relação pessoal, de predileção, de ternura recíproca, reflexo da íntima relação entre Ele e o Pai». É esta, acrescentou, «a atitude mediante a qual se realiza uma relação viva e pessoal com Jesus: deixar-me conhecer por Ele, não me fechar em mim mesmo, abrir-me ao Senhor para que Ele me conheça».

«Por nossa vez — disse — somos chamados a conhecer Jesus». Isto implica «um encontro com Ele, um encontro que suscite o desejo de o seguir, abandonando as atitudes autorreferenciais para se encaminhar por novas sendas, indicadas por Cristo e abertas a vastos horizontes». Ao contrário, «quando nas nossas comunidades se arrefece o desejo de viver a relação com Jesus, de ouvir a sua voz e de o seguir fielmente, é inevitável que prevaleçam outros modos de pensar e de viver que não são coerentes com o Evangelho».

Na conclusão do Regina caeli, depois do apelo a favor da pacificação na Nicarágua, Francisco recordou o dia mundial de oração pelas vocações, celebrado em toda a Igreja no quarto domingo de Páscoa. «Demos graças ao Senhor porque continua a suscitar na Igreja histórias de amor por Jesus Cristo, para o louvor da sua glória e ao serviço dos irmãos» exortou, convidando os fiéis a rezar a fim de que Deus «envie bons operários para trabalhar no seu campo, e multiplique as as vocações para a vida consagrada a para o casamento cristão».

Em especial, o Pontífice referiu-se aos 16 sacerdotes de várias partes do mundo, ordenados pouco antes na celebração eucarística presidida na basílica de São Pedro. Nessa ocasião, o Papa recomendou aos novos presbíteros — quatros dos quais estavam ao lado do Papa durante o Regina caeli — que sejam misericordiosos e cumpram «com alegria e caridade sincera a obra sacerdotal de Cristo, com a única intenção de agradar a Deus e não a vós mesmos nem aos homens, por outros interesses». E, concluiu, «tende sempre diante dos olhos o exemplo do bom Pastor, que não veio para ser servido mas para servir».

Regina caeli do Papa 

Homilia da Missa para as ordenações sacerdotais 

Edição em papel

 

AO VIVO

Praça De São Pedro

7 de Dezembro de 2019

NOTÍCIAS RELACIONADAS