Nota

Este site utiliza cookies...
Os cookies são pequenos arquivos de texto que ajudam a melhorar a sua experiência de navegação no nosso site. Ao navegar em qualquer parte deste site você autoriza a utilização dos cookies. Poderá encontrar maiores informações sobre a policy dos cookies nas Condições de utilização.

Chefes de família no Sri Lanka

Na aldeia de Valipunam, a trezentos e vinte e dois quilómetros ao norte de Colombo, a capital do Sri Lanka, encontra-se um dos cantos mais remotos da ex zona de guerra do País: as estradas de terra são impossíveis de atravessar, não há iluminação e a rede telefónica é fragmentária. Se todos têm receio de viver sozinhos nas suas habitações, a situação é especialmente grave para as famílias guiadas por mães sozinhas. Segundo as agências humanitárias presentes na região, na província setentrional do País devastado pela guerra, são entre quarenta e cinquenta e cinco mil as mulheres chefes de família que lutam para sobreviverem. Segundo os dados do Durable Solutions Promotion Group, coligação de organizações e agências internacionais de voluntários, os filhos destas mulheres são os mais vulneráveis aos abusos sexuais. Algumas destas famílias conseguem viver graças às ajudas humanitárias, mas são milhares aquelas que, não recebendo algum tipo de assistência, colapsaram.

Edição em papel

 

AO VIVO

Praça De São Pedro

24 de Outubro de 2019

NOTÍCIAS RELACIONADAS