Nota

Este site utiliza cookies...
Os cookies são pequenos arquivos de texto que ajudam a melhorar a sua experiência de navegação no nosso site. Ao navegar em qualquer parte deste site você autoriza a utilização dos cookies. Poderá encontrar maiores informações sobre a policy dos cookies nas Condições de utilização.

Chamados pelo nome

· Mensagem do Papa para o jubileu dos meninos e das meninas em programa para Abril ·

Também nas pequenas coisas é possível construir cada dia um mundo de paz

«Construir cada dia, também nas pequenas coisas, um mundo de paz»: foi a tarefa que o Papa confiou aos participantes no jubileu dos meninos e das meninas, em programa nos dias 23 a 25 de Abril. A eles Francisco dirige-se com uma mensagem, confidenciando: «Gostaria de chamar um por um, gostaria de vos chamar pelo nome, como faz Jesus todos os dias, porque sabeis bem que os vossos nomes estão escritos no céu».

Na mensagem o Pontífice recordou que o jubileu é a festa à qual todos estão chamados – «sem distinção e sem excluir ninguém» – e convidou os jovens a participar em grande número nas jornadas de Abril próximo, que focalizarão o tema «Crescer misericordiosos como o Pai». A este propósito, Francisco recomendou-lhes que se preparem para se tornar «cristãos capazes de escolhas e gestos corajosos», permanecendo «firmes no caminho de fé» e mantendo a vontade de «ir contra a corrente».

«Não me posso esquecer – escreve aliás – de vós, moças e rapazes que viveis em contextos de guerra, de pobreza extrema, de fadiga quotidiana, de abandono». Recomendo-vos que não percais a esperança, porque – garantiu – «O senhor tem um sonho grande para realizar juntamente convosco». O Pontífice lançou um forte apelo a rejeitar a lógica do conflito e da violência: «Não acrediteis nas palavras de ódio e de terror que são reiteradas muitas vezes; ao contrário, construí amizades novas. Oferecei o vosso tempo, preocupai-vos sempre com quem vos pede ajuda».

Concluindo, Francisco pede a todos para participar na experiência jubilar, realizando inclusive a peregrinação às Igrejas locais. «Não prepareis apenas as mochilas e os cartazes – exortou – preparai sobretudo o vosso coração e a vossa mente». E «quando atravessardes a porta santa, recordai-vos que vos comprometeis a tornar santa a vossa vida, a alimentar-vos do Evangelho e da Eucaristia, que são a palavra e o pão da vida, para construirdes um mundo mais justo e fraterno».

Edição em papel

 

AO VIVO

Praça De São Pedro

24 de Agosto de 2019

NOTÍCIAS RELACIONADAS