Nota

Este site utiliza cookies...
Os cookies são pequenos arquivos de texto que ajudam a melhorar a sua experiência de navegação no nosso site. Ao navegar em qualquer parte deste site você autoriza a utilização dos cookies. Poderá encontrar maiores informações sobre a policy dos cookies nas Condições de utilização.

Chamado a subir ao monte

· Durante o último Angelus na praça de São Pedro Bento XVI comenta a narração evangélica da Transfiguração e recorda que continuará a servir a Igreja com a oração e a meditação ·

Entra em vigor o motu proprio «Normas nonnullas» com o qual são substituídas algumas normas relativas à eleição do Romano Pontífice

«Neste momento da minha vida, o Senhor chama-me a “subir ao monte”, a dedicar-me ainda mais à oração e à meditação. Mas isto não significa abandonar a Igreja, aliás, se Deus me pede precisamente isto é para que possa continuar a servi-la com a mesma dedicação e amor com que procurei  fazê-lo até agora, mas de um modo mais adequado à minha idade e às minhas forças».  Bento XVI inspirou-se no Evangelho da Transfiguração  para reafirmar, diante de uma multidão que transbordava da Praça de São Pedro, as razões da sua renúncia:  «O Senhor chama-me». O encontro com os fiéis era para o último Angelus do pontificado, no domingo 24 de Fevereiro. Foram à praça em grande número e e fizeram sentir o seu afecto com longos e repetidos aplausos. E agradecendo-lhes várias vezes pelas manifestações de afecto, o Pontífice reafirmou com as suas palavras a primazia da oração na Igreja. Sem ela, recordou, «todo o compromisso do apostolado da caridade  reduz-se a activismo».

E depois «a oração  — quis reafirmar — não é um isolar-se do mundo e das suas contradições» como teria querido fazer Pedro no Tabor. Ao contrário, ela «reconduz ao caminho da acção». E representa, citando a mensagem para a Quaresma deste ano,  «um o subir contínuo ao Monte do encontro com  Deus e descer «trazendo o amor e a força que dele derivam de forma a servir os nossos irmãos e irmãs com o mesmo amor de Deus».          É precisamente esta a chamada  da Palavra de Deus que «sinto de modo particular dirigida a mim» confidenciou Bento XVI antes de invocar a intercessão da Virgem. E depois saudando os vários grupos de fiéis que vieram de todas as paróquiasda cidade e de diversas dioceses italianas e estrangeiras. Garantindo-lhes no final da oração mariana, que «na oração estamos sempre próximos».

Entretanto, esta manhã, segunda-feira, 25 de Fevereiro, foi publicado e portanto entra em vigor o motu proprio Normas nonnullas com o qual são feitasmudanças  a  algumas algumas normas relativas à eleição do Romano Pontífice.

Edição em papel

 

AO VIVO

Praça De São Pedro

24 de Outubro de 2019

NOTÍCIAS RELACIONADAS