Nota

Este site utiliza cookies...
Os cookies são pequenos arquivos de texto que ajudam a melhorar a sua experiência de navegação no nosso site. Ao navegar em qualquer parte deste site você autoriza a utilização dos cookies. Poderá encontrar maiores informações sobre a policy dos cookies nas Condições de utilização.

Cenas de uma tarde de festa

O pároco que embraça uma viola e entoa Praça grande de Lucio Dalla, juntamente com um grupo de desabrigados. Os jovens do oratório que no pátio elevam um letreiro no qual está escrito Bella Fra'! para lhe manifestar o afecto com uma expressão típica da gíria juvenil. O Papa Francisco que aos refugiados conta as lamentações de são Pedro com o Senhor «porque a cruz que carregava era muito pesada», mas depois assume um semblante sério para convidar ao acolhimento e à partilha. Cenas de uma tarde de festa na paróquia do Sagrado Coração de Jesus, onde o bispo de Roma foi em visita na tarde de domingo 19 de Janeiro.

Chegou por volta das 16h00, acolhido por muitíssimos fiéis que não desanimaram devido à chuva e encheram a estrada diante da entrada de via Marsala, o pátio do centro Don Bosco – coração vivo da comunidade – e a basílica construída pelo fundador dos salesianos.

Particularmente alegre o clima na pequena sala onde estavam cerca de quarenta desabrigados e uns vinte voluntários que deles se ocupam. Ao som do acordeão, com o ritmo marcado pelo bater das mãos, ouve quem iniciou também uns passos de dança. Para estes desabrigados que passam os seus dias entre a estação Termini e as estradas adjacentes à paróquia activou o serviço Praça grande. Por seu lado o Papa Francisco exortou a ter esperança, porque na vida além dos momentos difíceis há «coisas boas, como a amizade e a espera de um filho» disse indicando Salvatore e Luana, um casal voluntário que espera um filho. «Eu sei – explicou – que muitos de vós têm motivos para não estar alegres. Mas aqui encontrei alegria, porque há a amizade, há a proximidade de tantos irmãos e irmãs, há Jesus. Onde há amizade, a proximidade, a fraternidade, a paz: é Jesus». Por fim, convidou a não perder a esperança, nem sequer quando a noite parece mais escura. Porque precisamente naquele momento «começa a aurora. E quando a noite é mais escura, é porque o Senhor, o sol de justiça, se aproxima».

Edição em papel

 

AO VIVO

Praça De São Pedro

22 de Agosto de 2019

NOTÍCIAS RELACIONADAS