Nota

Este site utiliza cookies...
Os cookies são pequenos arquivos de texto que ajudam a melhorar a sua experiência de navegação no nosso site. Ao navegar em qualquer parte deste site você autoriza a utilização dos cookies. Poderá encontrar maiores informações sobre a policy dos cookies nas Condições de utilização.

Carta do Pontífice
aos bispos chilenos

· No final dos encontros no Vaticano ·

Na tarde de 17 de maio o Papa completou, no local adjacente à sala Paulo VI, o último dos quatro encontros com os 34 bispos chilenos, comunicou a Sala de imprensa da Santa Sé, recordando também que, no final deste período de discernimento e de encontro fraterno, o Pontífice entregou uma carta a cada prelado.

No texto, o Papa agradece antes de tudo aos «irmãos no episcopado» por terem aceite o convite a fazer juntos «um discernimento franco diante dos graves factos que prejudicaram a comunhão eclesial e enfraqueceram o trabalho da Igreja no Chile nos últimos anos». Francisco recorda que «à luz destes acontecimentos dolorosos, relativos aos abusos — de menores, de poder e de consciência», estes encontros foram ocasião para aprofundar «a gravidade» de tais factos e «as trágicas consequências que tiveram sobretudo para as vítimas». Vítimas às quais, frisa, «eu mesmo pedi perdão de coração». Perdão ao qual os prelados se uniram «numa única vontade e com o firme propósito de reparar os danos provocados».

Concluindo, o Pontífice renova a gratidão aos bispos pela «plena disponibilidade que cada um manifestou, aderindo e colaborando em todos estas mudanças e resoluções que devemos pôr em prática a curto, médio e longo prazo, necessárias para restabelecer a justiça e a comunhão eclesial». E, «depois destes dias de oração e reflexão», convida os prelados «a prosseguir na construção de uma Igreja profética, que saiba pôr no centro o que é importante: o serviço ao seu Senhor no faminto, no preso, no migrante e no abusado».

Edição em papel

 

AO VIVO

Praça De São Pedro

25 de Agosto de 2019

NOTÍCIAS RELACIONADAS