Nota

Este site utiliza cookies...
Os cookies são pequenos arquivos de texto que ajudam a melhorar a sua experiência de navegação no nosso site. Ao navegar em qualquer parte deste site você autoriza a utilização dos cookies. Poderá encontrar maiores informações sobre a policy dos cookies nas Condições de utilização.

Caldo de cultivo de muitas ideologias de sucesso

· A eugenética nascida no final do século XIX tornou-se trama cultural ainda viva nas nossas sociedades ·

A particularidade do volume Per una storia dell'eugenetica. Il pericolo delle buone intenzioni (Bréscia, Morecelliana, 2012, 320 páginas, 25 euros) do qual são tirados os contributos publicados em L'Osservatore Romano de hoje – assinados pelos dois autores do livro, Lucetta Scaraffia e Oddone Camerana – é a pesquisa sobre o impacto que a eugenética teve na cultura dos países onde se afirmou.

De facto, como se lê na introdução, a eugenética trouxe «um sucesso inédito à divulgação científica» graças à «afirmação de novas elites político-intelectuais, compostas por cientistas ou por divulgadores hábeis que conseguiam fazer-se considerar verdadeiros cientistas. Substancialmente, provocou uma espécie de terremoto cultural, do qual nem a literatura ficou isenta». Entre as novas ideologias favorecidas pela eugenética está também o feminismo, «enquanto se funda no controle da procriação e na sua separação da sexualidade».

O resultado foi e é impressionante: «a eugenética faz passar, de modo quase imperceptível, uma nova concepção de ser humano, não já considerado um ser privilegiado em relação aos animais, e uma ideia de humanidade não mais composta por seres iguais».

Edição em papel

 

AO VIVO

Praça De São Pedro

22 de Janeiro de 2020

NOTÍCIAS RELACIONADAS