Nota

Este site utiliza cookies...
Os cookies são pequenos arquivos de texto que ajudam a melhorar a sua experiência de navegação no nosso site. Ao navegar em qualquer parte deste site você autoriza a utilização dos cookies. Poderá encontrar maiores informações sobre a policy dos cookies nas Condições de utilização.

Autoridade significa serviço

· O Papa Francisco recebeu em audiência os prefeitos de várias cidades da Itália e em matéria de imigração pediu fidelidade à lei e respeito pelos direitos humanos ·

O exercício da autoridade está radicado na «obediência à lei e aos critérios de humanidade que a informam», e tem o serviço como «única finalidade nobre», recordou o Papa aos prefeitos de várias cidades da Itália na manhã de 6 de Fevereiro, na sala Clementina. Segundo o Pontífice, a «crise de autoridade» que hoje se experimenta «em diversos âmbitos públicos e particulares» — com consequências relevantes sobretudo no campo da educação dos jovens — tem entre as suas causas «a carência das disposições essenciais à obediência, à escuta e à paciência». Atitudes que o Papa recomendou aos prefeitos, frisando que «o exercício da autoridade tem sempre como meta a consecução do bem comum», pois encontra «a sua razão de ser mais íntima e a própria possibilidade da sua eficácia no pôr-se diariamente ao serviço dos destinatários do seu poder».

Depois de ter indicado as características fundamentais do trabalho dos prefeitos — que requer «uma dedicação tenaz aos seus deveres, um profundo conhecimento das problemáticas, além da flexibilidade necessária para enfrentar os numerosos casos práticos que se apresentam» — o Papa realçou sobretudo a obra realizada face ao crescente fenómeno migratório, ligado «ao aumento de conflitos violentos no mundo, com as suas trágicas consequências sobre as pessoas e as economias de muitos países». Um campo no qual as competências do prefeito «exigem que se encontre na gestão quotidiana das situações, muitas vezes de emergência, a correcta aplicação das normas que garanta, juntamente com a fidelidade ao ditado da lei e das outras disposições em vigor, o respeito escrupuloso dos direitos fundamentais de cada pessoa humana».

Agradecendo aos prefeitos «o compromisso que assumem para coordenar o acolhimento de milhares de homens, mulheres e crianças que chegam ao litoral italiano», o Pontífice fez votos a fim de que se «confirme, valorize e aprofunde» a colaboração entre prefeituras, dioceses e paróquias. Colaboração que, «no respeito das distintas competências», especificou, visa a «promoção do homem» e o «bem do país» e «de todos os cidadãos».

Texto integral do discurso do Papa 

Edição em papel

 

AO VIVO

Praça De São Pedro

25 de Agosto de 2019

NOTÍCIAS RELACIONADAS