Nota

Este site utiliza cookies...
Os cookies são pequenos arquivos de texto que ajudam a melhorar a sua experiência de navegação no nosso site. Ao navegar em qualquer parte deste site você autoriza a utilização dos cookies. Poderá encontrar maiores informações sobre a policy dos cookies nas Condições de utilização.

Audiência ao cardeal Schönborn

O Santo Padre recebeu em  audiência o Cardeal Christoph Schönborn, Arcebispo de Viena e Presidente da Conferência Episcopal Austríaca. Ele – informa um comunicado da Sala de Imprensa da Santa Sé – tinha pedido para referir pessoalmente ao Sumo Pontífice sobre a presente situação da Igreja na Áustria. Em particular, o Cardeal Christoph Schönborn quis esclarecer o sentido exacto das suas recentes declarações acerca de alguns aspectos da actual disciplina eclesiástica, e de alguns juízos sobre a atitude tomada pela Secretaria de Estado, e em particular do então Secretário de Estado do Papa João Paulo II, de v.m., em relação ao saudoso Cardeal Hans Hermann Groër, Arcebispo de Viena  de 1986 a 1995.

Sucessivamente, foram convidados para o encontro os Cardeais Angelo Sodano, Decano do Colégio Cardinalício, e Tarcisio Bertone, Secretário de Estado.

Na segunda parte da Audiência, foram esclarecidos e resolvidos alguns equívocos muito difundidos e em parte derivados de algumas expressões do Cardeal Christoph Schönborn, o qual expressa a sua consternação pelas interpretações dadas.

Em particular, recordou-se que na Igreja, quando se trata de acusações contra um Cardeal, a competência compete unicamente ao Papa; as outras instâncias podem ter uma função de consultoria, sempre com o devido respeito pelas pessoas; a palavra «tagarelice» foi interpretada erroneamente como uma falta de respeito pelas vítimas dos abusos sexuais, pelas quais o Cardeal Angelo Sodano tem os mesmos sentimentos de compaixão e de condenação do mal, tal como foram expressos em diversas intervenções do Santo Padre. Esta palavra, pronunciada na saudação pascal ao Papa Bento XVI, foi tirada literalmente da homilia pontifícia do Domingo de Ramos e referia-se à «coragem que não se deixa intimidar pela tagarelice das opiniões predominantes».

Por fim  – conclui o comunicado – o Santo Padre, recordando com grande afecto a sua visita pastoral à Áustria, transmite através do Cardeal Christoph Schönborn, a sua saudação e encorajamento à Igreja que está na Áustria e aos seus Pastores, confiando à celeste protecção de Maria, tão venerada em Mariazell, o caminho de uma renovada comunhão eclesial.

Edição em papel

 

AO VIVO

Praça De São Pedro

16 de Setembro de 2019

NOTÍCIAS RELACIONADAS