Nota

Este site utiliza cookies...
Os cookies são pequenos arquivos de texto que ajudam a melhorar a sua experiência de navegação no nosso site. Ao navegar em qualquer parte deste site você autoriza a utilização dos cookies. Poderá encontrar maiores informações sobre a policy dos cookies nas Condições de utilização.

Aquele olhar amoroso sobre o mundo

· Bento XVI celebrou o Domingo de Ramos com os jovens ·

Saber contemplar o mundo com os olhos de Deus: para os cristãos esta é a «grande mensagem» que deriva do Domingo de Ramos. Bento XVI voltou a propô-la aos milhares de fiéis – entre os quais muitíssimos jovens vindos de vários países para celebrar a vigésima  sétima Jornada mundial da juventude – que participaram na missa na praça de São Pedro na manhã do dia 1 de Abril.

Evocando o clamor de júbilo que acolheu Jesus à sua entrada em Jerusalém, o Papa indicou o seu profundo significado messiânico. «Aquele que é aclamado pela multidão como o bendito – explicou – é, ao mesmo tempo, Aquele em Quem será abençoada a humanidade inteira». Daqui deriva o convite aos crentes, «a assumir a visão recta sobre os povos que formam o mundo, sobre as suas diversas culturas e civilizações». Uma visão em que deve reflectir-se «o olhar do próprio Deus sobre os homens que Ele ama e sobre a criação»: portanto, um olhar «sábio e amoroso, capaz de captar a beleza do mundo e de compartilhar a sua fragilidade».

Para aprender esta atitude permanece decisiva a resposta à interrogação que já há dois mil anos ressoava nos corações de quantos aclamavam Cristo como Rei de Israel: «Quem é para nós Jesus de Nazaré?». Trata-se de  «uma pergunta  crucial – advertiu o Sumo Pontífice – que não podemos evitar». Ainda mais porque «precisamente nesta semana somos chamados a seguir o nosso Rei que escolhe como trono a cruz». Ou seja, somos convidados a seguir os passos de  «um Messias que não nos assegura uma felicidade terrena fácil, mas sim a felicidade do Céu, a bem-aventurança de Deus».

Bento XVI relançou esta interrogação sobretudo aos jovens, fazendo votos a fim de que «o Domingo de Ramos seja para vós o dia da decisão, a decisão de acolher o Senhor e de O seguir até ao fundo». Assim como aconteceu há oitocentos anos para santa Clara que, fascinada pelo exemplo de Francisco, precisamente no Domingo de Ramos deixou tudo para se consagrar totalmente ao Senhor:  «Com  dezoito anos – recordou o Papa – teve a coragem da fé e do amor, de se decidir por Cristo, encontrando nele a alegria e a paz».

À escolha radical de Cristo o Sumo Pontífice exortou os jovens também nas saudações pronunciadas em várias línguas, durante a recitação do Angelus. Foi significativo o encorajamento aos organizadores da próxima Jornada mundial da juventude, programada para 2013 no Rio de Janeiro. Depois, dirigiu-lhes o convite a acolher «de braços abertos» os jovens que chegarem a essa cidade brasileira de todas as partes do mundo.

Sobre o encontro do Rio, o Papa falou inclusive hoje de manhã, 2 de Abril, recebendo mais de cinco mil jovens da arquidiocese de Madrid, onde no ano passado teve lugar o encontro mundial. Será – foram estes os seus votos – «mais um marco miliário no caminho da Igreja sempre jovem».

Edição em papel

 

AO VIVO

Praça De São Pedro

16 de Setembro de 2019

NOTÍCIAS RELACIONADAS