Nota

Este site utiliza cookies...
Os cookies são pequenos arquivos de texto que ajudam a melhorar a sua experiência de navegação no nosso site. Ao navegar em qualquer parte deste site você autoriza a utilização dos cookies. Poderá encontrar maiores informações sobre a policy dos cookies nas Condições de utilização.

Aquele bem que não passa

· Recordando a JMJ o Pontífice repropôs no Angelus o apelo do Evangelho ·

Um pensamento de profunda gratidão pelo venerável Paulo VI

As Jornadas mundiais da juventude «não são “fogos de artifício”»  nem «momentos de entusiasmo finalizados a si mesmos», mas etapas de um longo caminho que os jovens enfrentam, levando consigo a cruz de Cristo pelas estradas do mundo. «E o Papa guia-os e acompanha-os neste caminho de fé e esperança». O Papa Francisco falou sobre isto no domingo 4 de Agosto aos fiéis reunidos na praça de São Pedro para recitar  com ele o Angelus. E quis frisar imediatamente que «os jovens não seguem o Papa, seguem Jesus Cristo». Ele mesmo viveu esta experiência nas jornadas do Rio, onde o entusiasmo o submergiu literalmente.

E agradeceu mais uma vez ao povo brasileiro o ardor do acolhimento: «O povo do Brasil é gente boa – disse – um povo de coração grande». Depois voltou a falar sobre a grande experiência ao lado dos jovens no Rio e pediu às pessoas para rezar «a fim de que os jovens que participaram na Jornada mundial da juventude possam traduzir esta experiência no seu caminho diário, nos comportamentos de todos os dias; e que a possam traduzir também nas escolhas importantes da vida». Sobretudo para enfrentar o «apelo à vaidade» que com frequência os circunda. De resto, os jovens «são particularmente sensíveis ao vazio de significado e de valores que os circunda. E infelizmente – explicou o Pontífice – pagam as consequências disto». Ao contrário, «o encontro com Jesus vivo, na sua grande família que é a Igreja, enche o coração de alegria, porque o torna repleto  de vida verdadeira, de um bem profundo, que não passa nem se extingue». E isto, disse o Papa, «vimos nos rostos dos jovens no Rio». Antes de concluir o encontro o Pontífice dirigiu o seu pensamento para Paulo VI, recordando que a 6 de Agosto se celebra o trigésimo quinto aniversário do seu falecimento.

Edição em papel

 

AO VIVO

Praça De São Pedro

19 de Novembro de 2019

NOTÍCIAS RELACIONADAS