Nota

Este site utiliza cookies...
Os cookies são pequenos arquivos de texto que ajudam a melhorar a sua experiência de navegação no nosso site. Ao navegar em qualquer parte deste site você autoriza a utilização dos cookies. Poderá encontrar maiores informações sobre a policy dos cookies nas Condições de utilização.

Ao serviço da Igreja e do diálogo

· ​Celebradas as exéquias do cardeal Jean-Louis Tauran na presença do Papa ·

Na presença do Papa Francisco, que participou desde o início, foram celebradas na manhã de 12 de junho, no altar da cátedra da basílica vaticana, as exéquias do cardeal Jean-Louis Tauran, presidente do Pontifício conselho para o diálogo inter-religioso e camerlengo da Santa Igreja Romana. No final o Pontífice presidiu ao rito da «ultima commendatio» e da «valedictio».

A missa foi celebrada pelo decano do colégio cardinalício, que pronunciou a homilia definindo o cardeal Tauran «uma grande figura de sacerdote, bispo e cardeal, que dedicou a sua vida ao serviço da Igreja e ao diálogo com todos os homens de boa vontade».

Juntamente com o purpurado celebraram vinte e dois cardeais, entre os quais, Pietro Parolin, secretário de Estado, e vinte e três prelados. Com os membros do corpo diplomático acreditado junto da Santa Sé, estavam o arcebispo Paul Richard Gallagher, secretário para as Relações com os Estados, e os monsenhores Paolo Borgia, assessor da Secretaria de Estado, e Joseph Murphy, chefe do Protocolo. Cerca de dez familiares do cardeal Tauran, entre os quais a sobrinha Catherine Arnould, vieram da França juntamente com o presidente da câmara municipal de Bordeaux, Alain Juppé. Entre quantos colaboraram com o saudoso purpurado, estavam presentes o arcebispo Gloder, vice-camerlengo, e o bispo Sciacca, auditor-geral da Câmara apostólica, com o colégio dos prelados clérigos; o bispo Miguel Ángel Ayuso Guixot, secretário do dicastério para o diálogo, com oficiais, funcionários leigos – entre os quais Luigi Filippi, que assistiu o cardeal presidente até aos últimos dias – e representantes das religiões muçulmana, hindu, sikh e budista. Estavam presentes também: funcionários da Biblioteca apostólica e do Arquivo secreto do Vaticano, membros da Obra de Nazaré, e religiosas das Franciscan Sisters of the Eucharist, que o hospedaram nos Estados Unidos onde faleceu. O cardeal Tauran será sepultado na basílica de Santo Apolinário «alle Terme Neroniane-Alessandrine», da qual era titular.

Edição em papel

 

AO VIVO

Praça De São Pedro

17 de Julho de 2018

NOTÍCIAS RELACIONADAS