Nota

Este site utiliza cookies...
Os cookies são pequenos arquivos de texto que ajudam a melhorar a sua experiência de navegação no nosso site. Ao navegar em qualquer parte deste site você autoriza a utilização dos cookies. Poderá encontrar maiores informações sobre a policy dos cookies nas Condições de utilização.

Antídoto contra a violência

· Aos bispos do norte da África em visita «ad limina» o Papa recordou que a diferença deve ser aceite como riqueza e no Angelus invocou a paz na Síria e no Iraque e o fim das tensões sociais na Venezuela ·

O Papa Francisco prestou homenagem «à coragem, à fidelidade e à perseverança» dos bispos, sacerdotes, consagrados e leigos que continuam a permanecer na Líbia não obstante os múltiplos perigos. «São autênticas testemunhas do Evangelho» disse, falando aos prelados da Conferência episcopal regional do norte da África (Cerna), recebidos em audiência na manhã de segunda-feira 2 de Março. «Agradeço-vos vivamente – disse – e encorajo-vos a prosseguir os vossos esforços a fim de contribuir para a paz e a reconciliação em toda a vossa região».

Ao grupo de bispos – que além da Líbia era composto por pastores da Argélia, Marrocos e Tunísia – o Pontífice recordou em particular a necessidade de intensificar o diálogo com as outras religiões, evidenciando que «o antídoto mais eficaz contra todas as formas de violência é a educação à descoberta e à aceitação da diferença como riqueza e fecundidade». Uma evidência significativa à luz do apelo lançado no domingo pelo Papa durante o Angelus na praça de São Pedro. Precisamente manifestando a sua preocupação pelo perpetuar-se das violências na Síria e no Iraque contra os cristãos e outros grupos, Francisco tinha exortado os fiéis a rezar «insistentemente para que se ponha fim o mais rápido possível à brutalidade intolerável da qual são vítimas». Ao mesmo tempo, acrescentava, «peço a todos, segundo as suas possibilidades, que se esforcem para aliviar os sofrimentos de quantos estão na provação, com frequência só por causa da fé que professam».

De violência o Pontífice tinha falado também referindo-se às agudas tensões sociais que se estão a verificar na Venezuela. Depois de ter recordado o estudante de quatorze anos assassinado por um agente da polícia em San Cristóbal, no Estado de Táchira, o Papa invocou o compromisso de todos para afastar a tentação do conflito e garantir o «respeito da dignidade de cada pessoa e da sacralidade da vida humana», encorajando a «retomar um caminho comum para o bem do país, reabrindo espaços de encontro e de diálogo sinceros e construtivos».

Discurso do Papa aos bispos do norte da África 

Angelus dominical 

Edição em papel

 

AO VIVO

Praça De São Pedro

22 de Agosto de 2019

NOTÍCIAS RELACIONADAS