Nota

Este site utiliza cookies...
Os cookies são pequenos arquivos de texto que ajudam a melhorar a sua experiência de navegação no nosso site. Ao navegar em qualquer parte deste site você autoriza a utilização dos cookies. Poderá encontrar maiores informações sobre a policy dos cookies nas Condições de utilização.

Alunas do Congo abusadas pelos professores

Em algumas escolas do Congo, professores e autoridades escolares aproveitam do seu status para abusar das alunas. Segundo a organização local African association for the defence of Human Rights (Aadhr), o desconhecimento da lei e o temor de denunciar os culpados continuam a alimentar os abusos sexuais, de modo particular em Kinshasa e Matadi. A recente relação da Aadhr com o título School and Sexual Abuse na DRC: Knowledge is power denuncia por volta de cem casos de estupro que sucederam entre Abril e Junho em mais de 45 escolas das duas cidades (as informações foram recolhidas pela polícia local e pela Aadhr). Em 2006 o país africano aprovou duas leis que prevêem penas severas para punir as agressões sexuais contra menores de 16 anos, mas segundo o vice-presidente nacional da Congolese Association for Access to Justice (Caaj) estas normas são insuficientes. Segundo a Caaj, o escritório do Ministério Público recebe uma média de 15 denúncias por semana, mas é fundamental encorajar as estudantes para que denunciem as tentativas de violência.

Edição em papel

 

AO VIVO

Praça De São Pedro

14 de Outubro de 2019

NOTÍCIAS RELACIONADAS