Nota

Este site utiliza cookies...
Os cookies são pequenos arquivos de texto que ajudam a melhorar a sua experiência de navegação no nosso site. Ao navegar em qualquer parte deste site você autoriza a utilização dos cookies. Poderá encontrar maiores informações sobre a policy dos cookies nas Condições de utilização.

Além da crise rumo à renovação

· O sacramento da ordem em cinquenta anos de estudos de Joseph Ratzinger ·

Se Cristo, por meio da sua Ressurreição, superou a  maior crise de fé  –   a crise pré-pascal dos discípulos   –  e, em particular, a crise da missão  e do poder apostólico, por conseguinte também do sacerdócio católico, então, é precisamente e só do nosso olhar dirigido ao Senhor que é possível superar também todas as crises históricas do sacerdócio.

Correspondendo ao seu olhar sobre nós e sobre o nosso sacerdócio, com o nosso olhar dirigido a Ele, fitando os nossos olhos nos do Sumo sacerdote,  crucificado e ressuscitado, podemos superar todos os obstáculos e dificuldades.

Penso em particular na crise da doutrina do sacerdócio, ocorrida durante a Reforma protestante, uma crise a nível dogmático, com a qual o sacerdote foi reduzido a um mero representante da comunidade, mediante uma eliminação da diferença essencial entre o sacerdócio ordenado e o comum de todos os fiéis. E depois penso na crise existencial e espiritual, que aconteceu na segunda metade do século XX e explodiu depois do concílio Vaticano II, de cujas consequências ainda hoje sofremos.

Joseph Ratzinger, no amplo volume Anunciadores da Palavra e servidores da vossa alegria – o décimo segundo da opera omnia – sugeriu uma superação destas crises com uma proposta de alto nível teológico, oferecendo-nos uma guia para favorecer uma renovação do sacerdócio sacramental instituído por Cristo.

Os estudos científicos, as meditações e as homilias sobre o serviço episcopal, presbiteral/sacerdotal e diaconal, contidos  neste volume,  abrangem um espaço temporal de quase cinquenta anos, a partir dos anos imediatamente precedentes ao início do Vaticano II.

A este acontecimento, que foi o que mais marcou a história recente da Igreja, muitos associam, segundo a respectiva posição, o início de uma transformação em conformidade com o espírito do tempo, isto é, o início de uma profunda crise da Igreja e, em particular, do sacerdócio.

Edição em papel

 

AO VIVO

Praça De São Pedro

16 de Setembro de 2019

NOTÍCIAS RELACIONADAS