Nota

Este site utiliza cookies...
Os cookies são pequenos arquivos de texto que ajudam a melhorar a sua experiência de navegação no nosso site. Ao navegar em qualquer parte deste site você autoriza a utilização dos cookies. Poderá encontrar maiores informações sobre a policy dos cookies nas Condições de utilização.

Ajudas internacionais para a população congolesa

· O apelo do Papa no final da audiência geral na Sala Paulo VI ·

E aos fiéis recorda que a obediência a Deus é como abandonar-se ao oceano

Paz  e ajudas para a população da República Democrática do Congo, «que há meses se tornou teatro de confrontos armados e de violências», foram pedidos pelo Papa na audiência geral de quarta-feira, 5 de Dezembro. Diante das «notícias preocupantes sobre a grave crise humanitária no Leste» do país africano, Bento XVI denunciou a falta de «meios de primária subsistência» ressaltando que milhares de habitantes foram «obrigados a abandonar as próprias casas, para procurar refúgio noutras partes». Eis por que o apelo «ao diálogo e à reconciliação», com o pedido «à comunidade internacional para que se comprometa a remediar às dificuldades» das pessoas. Anteriormente, prosseguindo o ciclo de catequeses sobre o Ano da fé, o Papa comentou para os fiéis presentes na Sala Paulo VI o hino de louvor contido no início da Carta aos Efésios «que introduz à vivência do tempo de Advento». Para o Pontífice a oração de São Paulo é uma oração de bênção, graças à qual o apóstolo «nos faz compreender como toda a criação e, em particular, o homem e a mulher não são fruto do ocaso, mas respondam a um desígnio de benevolência da razão eterna de Deus que com o poder criador e redentor da sua Palavra dá origem ao mundo». Nesta perspectiva, a fé torna-se «a resposta do homem à Revelação de Deus.

Edição em papel

 

AO VIVO

Praça De São Pedro

7 de Dezembro de 2019

NOTÍCIAS RELACIONADAS