Nota

Este site utiliza cookies...
Os cookies são pequenos arquivos de texto que ajudam a melhorar a sua experiência de navegação no nosso site. Ao navegar em qualquer parte deste site você autoriza a utilização dos cookies. Poderá encontrar maiores informações sobre a policy dos cookies nas Condições de utilização.

A África necessita de paz e solidariedade

· O Papa Francisco invocou um uso sábio e ético dos recursos do continente ·

Hoje, é «improrrogável» um compromisso comum para promover a paz e a solidariedade na África, disse o Papa Francisco a uma delegação da organização African Instituted Churches, recebida em audiência na manhã de sábado, 23 de junho, na biblioteca particular.

Recordando os esforços feitos pelas populações do continente para alcançar a independência e defender a própria dignidade, o Pontífice constatou que «a promessa de progresso e de justiça contida neste processo de emancipação nem sempre foi mantida e muitos países estão ainda longe de alcançar a paz e um desenvolvimento económico, social e político que abranja todos os setores e ofereça condições de vida e oportunidades adequadas a todos os cidadãos». Contudo, permanecem desafios exigentes a serem enfrentados, entre os quais Francisco assinalou, em particular, o de «oferecer estabilidade, educação e oportunidades de trabalho aos jovens, que constituem uma parte tão ampla das sociedades africanas».

«Se estamos deveras convictos de que os problemas da África poderão ser resolvidos mais facilmente recorrendo aos recursos humanos, culturais e materiais do continente – insistiu o Papa – então é claro que a nossa tarefa cristã consiste em acompanhar todos os esforços para favorecer um uso sábio e ético destes recursos». É preciso sobretudo «promover os processos de paz nas várias áreas de conflito»; mas não é menos urgente a necessidade «de formas concretas de solidariedade para com os indigentes». E «é tarefa dos responsáveis das Igrejas ajudar as pessoas a reunir as próprias energias a fim de as pôr ao serviço do bem comum e, ao mesmo tempo, defender a sua dignidade, liberdade e direitos». Com efeito, hoje – insistiu o Pontífice – «mais que nunca, é necessário que todos os cristãos aprendam a trabalhar juntos pelo o bem comum».

Discurso do Papa

Edição em papel

 

AO VIVO

Praça De São Pedro

14 de Outubro de 2019

NOTÍCIAS RELACIONADAS