Nota

Este site utiliza cookies...
Os cookies são pequenos arquivos de texto que ajudam a melhorar a sua experiência de navegação no nosso site. Ao navegar em qualquer parte deste site você autoriza a utilização dos cookies. Poderá encontrar maiores informações sobre a policy dos cookies nas Condições de utilização.

Adeus Espanha

· Cerimónia de despedida no aeroporto internacional de Barcelona ·

Na tarde de domingo 7 de Novembro Bento XVI concluiu a sua décima oitava viagem internacional. A cerimónia de despedida teve lugar no aeroporto internacional de Barcelona. Depois da saudação que lhe foi dirigida pelo rei da Espanha Juan Carlos, o Papa proferiu este discurso.

Majestade

Senhor Cardeal Arcebispo de Barcelona

Senhor Cardeal Presidente da Conferência Episcopal Espanhola

Senhores Cardeais e Irmãos no Episcopado

Senhor Presidente do Governo

Ilustres Autoridades nacionais, regionais e locais

Queridos irmãos e irmãs

Amigos todos

Muito obrigado. Gostaria que estas breves palavras pudessem sintetizar os sentimentos de gratidão que tenho no coração no momento em que termino a minha visita a Santiago de Compostela e a Barcelona. Muito obrigado, Majestades, por estarem aqui presentes. Agradeço as amáveis palavras que Vossa Majestade teve a bondade de me dirigir e que são a expressão do afecto deste nobre povo pelo Sucessor de Pedro. Do mesmo modo, quero manifestar os meus cordiais agradecimentos às autoridade que nos acompanham, aos Senhores Arcebispos de Santiago de Compostela e de Barcelona, ao Episcopado espanhol e às numerosas pessoas que, sem poupar sacrifícios, colaboraram para que esta viagem terminasse com bom êxito. Agradeço calorosamente a todos as constantes e agradáveis atenções que nestes dias tiveram com o Papa, e que põem em relevo a hospitalidade e o acolhimento que caracterizam o povo destas terras, tão próximo do meu coração.

Em Compostela quis unir-me como um peregrino qualquer às numerosas pessoas de Espanha, da Europa e de outros países do mundo, que visitam o túmulo do Apóstolo para fortalecer a própria fé e receber o perdão e a paz. Além disso, como Sucessor de Pedro, vim para confirmar os meus irmãos na fé. Esta fé que nos alvores do cristianismo alcançou estas terras e se enraizou tão profundamente que forjou o espírito, os costumes, a arte e a personalidade do seu povo. Preservar e alimentar este rico património espiritual, é expressão não só do amor de um país em relação à sua história e à sua cultura, mas também um caminho privilegiado para transmitir às novas gerações aqueles valores fundamentais tão necessários para edificar um futuro de convivência harmónica e solidária.

Os caminhos que atravessavam a Europa para alcançar Santiago eram muito diferentes entre eles, cada um com a sua língua e as suas peculiaridades, porém a fé era a mesma. Havia uma linguagem comum, o Evangelho de Cristo. Em qualquer lugar, o peregrino podia sentir-se em casa. Além das diferenças nacionais, tinha a consciência de ser membro de uma grande família, à qual pertenciam outros peregrinos e populações que encontrava no seu caminho. Que esta fé alcance novo vigor neste Continente, e se converta numa fonte de inspiração, que faça crescer a solidariedade e o espírito de serviço em relação a todos, especialmente às populações e aos países mais necessitados.

Em Barcelona, tive a imensa alegria de dedicar a Basílica da Sagrada Família, que Gaudí concebeu como um louvor em pedra a Deus, e visitei também uma significativa instituição eclesial de carácter benéfico e social. Parecem, na hodierna Barcelona, dois símbolos da fecundidade da mesma fé, que marcou também o coração deste povo e que, através da caridade e da beleza do mistério de Deus, contribui para a criação de uma sociedade mais digna do homem. Com efeito, a beleza, a santidade e o amor de Deus fazem com que o homem viva no mundo com esperança.

Regresso a Roma tendo visitado só dois lugares da vossa bonita geografia. Sem dúvida, com a oração e o pensamento, desejei abraçar todos os espanhóis, sem excepção, e tantos outros que vivem entre vós, sem terem nascido aqui. Levo todos no meu coração e rezo por todos, especialmente pelos que sofrem, confiando-os à protecção materna de Maria Santíssima, tão venerada e invocada na Galiza, na Catalunha e nas outras regiões da Espanha. Peço-lhe também que obtenha para vós do Altíssimo abundantes dons celestiais, que vos ajudem a viver como uma família, guiados pela luz da fé. Concedo-vos a minha bênção em nome do Senhor. Com a sua ajuda, ver-nos-emos em Madrid no próximo ano, para celebrar a Jornada Mundial da Juventude. Adeus!

Edição em papel

 

AO VIVO

Praça De São Pedro

23 de Setembro de 2019

NOTÍCIAS RELACIONADAS