Nota

Este site utiliza cookies...
Os cookies são pequenos arquivos de texto que ajudam a melhorar a sua experiência de navegação no nosso site. Ao navegar em qualquer parte deste site você autoriza a utilização dos cookies. Poderá encontrar maiores informações sobre a policy dos cookies nas Condições de utilização.

Aconteceu realmente uma coisa grandiosa

· Os escritos conciliares de Joseph Ratzinger ·

Um instrumento precioso para compreender e interpretar o Vaticano II a partir dos seus textos

Joseph Ratzinger, como teólogo, contribuiu para dar forma e acompanhou o concílio Vaticano II em todas as suas fases. Ele participou em grande medida na elaboração dos vários textos, primeiro ao lado do arcebispo de Colónia, cardeal Joseph Frings, e mais tarde como membro autónomo de diversas comissões.

Na fase de recepção, ele não se cansa de recordar que o concílio deve ser avaliado e compreendido à luz da sua intenção autêntica. O concílio é parte integrante da história da Igreja e, portanto, só é possível compreendê-lo correctamente se for considerado o contexto de dois mil anos.

No seu prefácio ao presente volume, o Papa Bento XVI descreveu deste modo a tarefa do concílio: «A percepção desta perda do tempo presente por parte do cristianismo e da tarefa que dele derivava era bem sintetizada pela palavra “actualização”. O cristianismo deve estar no presente para poder dar forma ao futuro».

Por conseguinte, como sétimo volume da Opera omnia , foi publicada agora a recolha, numa síntese de tipo cronológico e organizado, dos escritos de Joseph Ratzinger sobre os ensinamentos do concílio, que coincidiu com o cinquentenário do Vaticano II. Ponto de partida de todas as suas tomadas de posições sobre o concílio é o texto aprovado no original em latim, do qual sobressai a vontade dos Padres na sua forma originária. Quem quiser entender o Vaticano II deve considerar com atenção todas as constituições, os decretos e as declarações porque só eles, na sua unidade, representam a herança válida do concílio. E no presente volume está documentado adequadamente, em toda a sua clareza e exactidão, também este passo decisivo no acolhimento do concílio.

O Vaticano II declarou que, «seguindo as pegadas dos concílios de Trento e Vaticano I, propõe-se expor a doutrina genuína sobre a Revelação divina e a sua transmissão, para que o mundo inteiro ouvindo a mensagem da salvação, acredite; acreditando, espere; e esperando ame» (constituição dogmática Dei Verbum , 1). O concílio não quer anunciar qualquer outra fé, mas em continuidade com os precedentes concílios, pretendo torná-la presente.

O sétimo volume das Gesammelte Schriften reúne os escritos dispersos e de diversa origem, oferecendo assim ao leitor um instrumento para compreender e interpretar o concílio Vaticano II a partir dos seus textos. No prefácio ao volume, o Papa Bento XVI recorda o clima que precedeu a abertura do concílio: «Era um momento de expectativa extraordinária. Estava para acontecer algo grandioso». Se depois de cinquenta anos daquele acontecimento histórico olharmos para trás, podemos deveras afirmar com convicção que realmente «aconteceu» algo grandioso! O concílio abre o caminho da Igreja para o futuro e apresenta-se como instrumento fundamental para a nova evangelização.

Edição em papel

 

AO VIVO

Praça De São Pedro

23 de Setembro de 2019

NOTÍCIAS RELACIONADAS