Nota

Este site utiliza cookies...
Os cookies são pequenos arquivos de texto que ajudam a melhorar a sua experiência de navegação no nosso site. Ao navegar em qualquer parte deste site você autoriza a utilização dos cookies. Poderá encontrar maiores informações sobre a policy dos cookies nas Condições de utilização.

A verdadeira religião consiste em viver na escuta de Deus

· Angelus de Bento XVI em Castel Gandolfo ·

A recordação do cardeal Martini numa mensagem pontifícia lida durante o funeral na catedral de Milão

A verdadeira religião consiste em «viver na escuta de Deus para fazer a sua vontade». Um programa de vida,  indicado pelo Papa no Angelus de domingo 2 de Setembro, que o cardeal Carlo Maria Martini encarnou na sua existência de «Pastor generoso e fiel da Igreja», ensinando a crentes e não-crentes que «a única Palavra digna de ser ouvida, acolhida e seguida é a de Deus, porque indica a todos o caminho da verdade e do amor». Unindo-se à oração da comunidade ambrosiana, da família religiosa dos jesuítas e  de quantos «o estimaram e amaram», Bento XVI quis recordar mais uma vez o arcebispo emérito de Milão, falecido no passado dia 31 de Agosto. Fê-lo numa mensagem lida pelo cardeal Angelo Comastri, que participou como seu representante no funeral presidido na catedral ambrosiana, na segunda-feira, 3 de Setembro, pelo cardeal Angelo Scola. «Foi um homem de Deus, que não só estudou a Sagrada Escritura, mas amou-a intensamente, fez dela a luz da própria vida», escreve na mensagem  o Pontífice, que no Angelus do dia anterior pediu à Virgem para ajudar os cristãos «a escutar com o coração aberto e sincero a Palavra de Deus, para que oriente os nossos pensamentos, as nossas escolhas e acções».

Edição em papel

 

AO VIVO

Praça De São Pedro

12 de Novembro de 2019

NOTÍCIAS RELACIONADAS