Nota

Este site utiliza cookies...
Os cookies são pequenos arquivos de texto que ajudam a melhorar a sua experiência de navegação no nosso site. Ao navegar em qualquer parte deste site você autoriza a utilização dos cookies. Poderá encontrar maiores informações sobre a policy dos cookies nas Condições de utilização.

A sabedoria nunca envelhece

Lamento muito a decisão do Papa de renunciar ao pontificado. Trata-se de uma decisão original, porque ele é um homem original e corajoso. Considero-o um líder espiritual extraordinário e único.

Penso que a contribuição de Bento XVI teve um impacto importante. É um homem de pensamento profundo. O corpo pode envelhecer mas a sabedoria nunca envelhece.

O seu compromisso pela paz e pela humanidade é autêntico. Possui a sinceridade do crente verdadeiro, a sabedoria de quem compreende as mudanças da história e a consciência de que, não obstante as diferenças, não nos devemos tornar estranhos ou inimigos.

No âmbito das relações entre a Igreja católica e o povo judeu realizou inúmeros gestos. Afirmou que o povo judeu não é responsável pela morte de Jesus; reafirmou que os judeus são os «nossos irmãos mais velhos» e disse que Deus nunca abandonou o povo judeu. Visitou Israel e o Templo maior em Roma para expressar a sua amizade e solidariedade. Em Israel acompanhei-o pessoalmente. E foi amistoso de uma maneira excepcional e deveras cheia de carinho. Rezou pela paz no Médio Oriente, precisamente como fazemos eu e outros. Não pode ser considerado como o líder administrativo do Vaticano, mas como guia espiritual, dotado de profundidade, conhecimento e sabedoria. Considero-o um amigo. Desejo-lhe todo o bem e permanecerei em contacto com ele.

Em Jerusalém rezaremos a fim de que possa recuperar as forças físicas e oferecer a própria sabedoria, profundidade e amizade a todos os povos, a todas as religiões.

Recordá-lo-emos com respeito e estima por tudo o que fez.

Edição em papel

 

AO VIVO

Praça De São Pedro

23 de Setembro de 2019

NOTÍCIAS RELACIONADAS