Nota

Este site utiliza cookies...
Os cookies são pequenos arquivos de texto que ajudam a melhorar a sua experiência de navegação no nosso site. Ao navegar em qualquer parte deste site você autoriza a utilização dos cookies. Poderá encontrar maiores informações sobre a policy dos cookies nas Condições de utilização.

A primeira vez do Papa na Toscana

· No domingo em Arezzo, La Verna e Sansepolcro ·

Faltam poucas horas para a visita de Bento XVI à Toscana, onde, no domingo 13 de Maio, o esperam em Arezzo, La verna e Sansepolcro. Será a sua primeira visita à região como Papa. De facto, como cardeal, Joseph Ratzinger mais de uma vez visitou apaixonadamente as belezas artísticas e paisagísticas, especialmente dos lugares impregnados de espiritualidade franciscana. As claustrais de Rosano – que tiveram a satisfação de o receber com frequência como hóspede – narraram sobre as suas visitas no semanário católico regional «Toscana Oggi», logo depois da sua eleição ao sólio pontifício.

A primeira visita remonta ao ano de 1985 quando o cardeal Ratzinger foi a Rosano por ocasião da profissão religiosa de uma noviça no mosteiro das clarissas. Desde então, as visitas tornaram-se frequentes. Preferia realizá-las na solenidade do Corpus Christi. Celebrava a missa e levava o Santíssimo Sacramento em procissão. Em 2001 escolheu a abadia para celebrar, juntamente com o irmão Georg, o cinquentenário da ordenação sacerdotal. «Nas suas visitas – disseram as claustrais – habitualmente vinha acompanhado do seu secretário dessa época, monsenhor Josef Clemens e de Alfredo, o fidedigno motorista. Chegava na tarde de sábado e partia na tarde de domingo. Ao anoitecer, gostava de fazer um passeio longo pela colina ou pelos campos nos arredores do mosteiro».

Também La Verna não será uma novidade para ele: como cardeal, no mês de Setembro de 1988, transcorreu dois dias no santuário a reflectir com os frades sobre a espiritualidade de Francisco e Boaventura.

Em Arezzo fará a primeira paragem. O antigo povoado alarga-se pela encosta da colina, onde outrora surgia a cidade etrusca. É um pequeno tesouro com uma alma antiga que une história, cultura, arte e filosofia do bem viver. A chegada do Papa de helicóptero está prevista para as 9 horas. Após um breve trajecto de carro até ao parco del Prato, um vasto terreno capaz de receber pelo menos trinta mil pessoas, o Pontífice celebra a missa com todos os bispos da Região. Em seguida, a homenagem na Catedral de são Donato, padroeiro da cidade. No final da manhã, na sede do episcopado, almoça com os bispos da Toscana.

Na parte da tarde, de helicóptero, irá a La Verna, onde repetirá o gesto que cada semana se repete no santuário, a procissão até à capela dos estigmas com a relíquia do sangue de são Francisco, um tecido de linho que o santo habitualmente mantinha sobre o lado ferido.

O último acto do dia será em Sansepolcro, para se unir às comemorações do milénio de fundação da cidade, nascida por iniciativa de dois santos peregrinos Arcano e Egídio, que regressaram da Terra Santa e tornada famosa porque ali nasceu Piero della Francesca. Na co-catedral dedicada a são João evangelista deter-se-á em oração diante do artístico crucifixo de madeira, conhecido e venerado como a Sagrada Face. Em seguida, na Piazza della Torre di Berta, encontrar-se-á com a população. No final, regressará a Roma.

Edição em papel

 

AO VIVO

Praça De São Pedro

22 de Setembro de 2019

NOTÍCIAS RELACIONADAS