Nota

Este site utiliza cookies...
Os cookies são pequenos arquivos de texto que ajudam a melhorar a sua experiência de navegação no nosso site. Ao navegar em qualquer parte deste site você autoriza a utilização dos cookies. Poderá encontrar maiores informações sobre a policy dos cookies nas Condições de utilização.

A mensagem de Cristo é profecia e libertação

· Audiência de Bento XVI aos directores nacionais das Pontifícias Obras missionárias ·

Encorajado o projecto de uma campanha mundial de oração para a evangelização do mundo

A mensagem de Cristo não pode adaptar-se à lógica do mundo, «porque é profecia e libertação, é semente de uma humanidade nova que cresce e só no fim dos tempos alcançará a sua plena realização». Assim Bento XVI – depois de ter recordado padre Massimo Cenci, subsecretário da Congregação para a Evangelização dos Povos, falecido repentinamente em Roma na madrugada de sexta-feira 11 de Maio – evocou o sentido profundo da evangelização. Fê-lo, dirigindo-se aos directores nacionais das Pontifícias Obras Missionárias, recebidos em audiência na manhã de hoje, sexta-feira 11, na Sala Clementina.

Tanto hoje como ontem, disse em síntese o Pontífice, a missão tem índole de urgência, e «nestes tempos impele a Igreja a agir com um passo ainda mais apressado pelos caminhos do mundo, para levar todo o homem ao conhecimento de Cristo», não obstante isto comporte dificuldades e sofrimentos. O Papa dirigiu o pensamento aos mártires de todos os tempos, em particular a quantos ainda hoje continuam a derramar o seu sangue pelo anúncio. «Nesta fase de mudanças económicas, culturais e políticas – disse a propósito – onde muitas vezes o ser humano se sente só, à mercê da angústia e do desespero, os mensageiros do Evangelho, embora sejam anunciadores de esperança e de paz, continuam a ser perseguidos». Portanto, há necessidade da oração que sustente a missão hoje. Uma oração «mais intensa» para invocar a luz e a força do Espírito Santo, necessárias para sustentar quantos se comprometem «com decisão e generosidade para inaugurar, num certo sentido, uma nova era de anúncio do Evangelho».

Precisamente por este motivo, o Papa quis encorajar o projecto da Congregação para a Evangelização dos Povos e das Pontifícias Obras Missionárias, de apoiar a celebração do Ano da fé com uma campanha mundial que, através da recitação do rosário, acompanhe «a obra de evangelização no mundo» e «a redescoberta e o aprofundamento da fé por parte de muitos baptizados».

Edição em papel

 

AO VIVO

Praça De São Pedro

23 de Setembro de 2019

NOTÍCIAS RELACIONADAS