Nota

Este site utiliza cookies...
Os cookies são pequenos arquivos de texto que ajudam a melhorar a sua experiência de navegação no nosso site. Ao navegar em qualquer parte deste site você autoriza a utilização dos cookies. Poderá encontrar maiores informações sobre a policy dos cookies nas Condições de utilização.

À descoberta da arte de viver

· Entrega a Brian Daley e a Rémi Brague do prémio Ratzinger ·

«Observei algo que me fez ponderar — disse Bento XVI durante a cerimónia de entrega do prémio que já é conhecido no mundo inteiro como o Nobel para a teologia, o Prémio Ratzinger — ou seja, que os dois Premiados deste ano são competentes e comprometidos em dois aspectos decisivos para a Igreja nos nossos tempos: refiro-me ao ecumenismo e ao confronto com as demais religiões. Padre Daley, estudando profundamente os Padres da Igreja, colocou-se na melhor escola para conhecer e amar a Igreja una e indivisa, apesar da riqueza das suas diferentes tradições; por isso, ele desempenha também um serviço de responsabilidade em relação às Igrejas ortodoxas. E o Prof. Brague é um grande estudioso da filosofia das religiões, de modo particular da judaica e islâmica, na Idade Média». A cerimónia teve lugar no final da manhã de 20 de Outubro, numa apinhada Sala Clementina, no Palácio Apostólico no Vaticano, na presença – entre outros – dos padres sinodais que interromperam os seus trabalhos para tal ocasião. «Pois bem, cinquenta anos depois do início do Concílio Vaticano II — prosseguiu o Papa no seu discurso de saudação – gostaria de reler juntamente com eles dois documentos conciliares: a Declaração Nostra aetate sobre as religiões não cristãs e o Decreto Unitatis redintegratio sobre o ecumenismo, ao qual contudo eu acrescentaria mais um documento que se revelou de importância extraordinária: a declaração Dignitatis humanae sobre a liberdade religiosa. Sem dúvida, seria muito interessante, estimado Padre e prezado Professor, ouvir as vossas reflexões e inclusive as vossas experiências nestes campos, onde se desempenha um papel relevante do diálogo da Igreja com o mundo contemporâneo. Na realidade, este encontro e confronto ideal já se verifica lendo as suas publicações, que estão parcialmente disponíveis em diversas línguas. Sinto que devo manifestar apreço e gratidão especiais por este esforço em vista de comunicar os frutos de tais investigações. Trata-se de um compromisso que é gravoso mas inestimável para a Igreja e para quantos agem em âmbito académico e cultural».

Edição em papel

 

AO VIVO

Praça De São Pedro

22 de Setembro de 2019

NOTÍCIAS RELACIONADAS